21 de setembro de 2017

O QUE VOCÊ ACHA DE PESSOAS QUE TEM PEÇAS IGUAIS A SUA?

As vezes eu fico reparando na quantidade de peças que eu tenho parecida com a minha mãe, irmã e principalmente amigas. É que, ou a gente tem o mesmo gosto [que as vezes até pode ser] ou compramos apenas por moda ou pelo preço em conta. 

Mas o que acontece mesmo é que quase ninguém sabe lidar com esse tipo de situação: de ter alguém muito próximo a você que tem as mesmas peças que você, ou que se inspira em você pra usar ou que veste no mesmo ambiente em que você estar.

E daí eu te pergunto, o que você acha disso?



foto mais antiga que minha vó, mas apenas para relatar. 

Eu normalmente sempre me dou bem com essas situações [vide foto], mas nem todo mundo sabe, não é mesmo?! Quantas pessoas você deve conhecer que já desejou enfiar a cara num buraco em uma situação onde se deparou com alguém com a mesma peça que ela? Ou que ficou irritada quando o outro comprou algo que você já tinha? 

Essas situações são bem corriqueiras, é que como eu já abordei por aqui em outros posts. Os estilos têm sido unificados; a maioria tem usado aquilo que está em alta e sendo assim, a probabilidade de você ter uma peça igual ou parecida com a da sua vizinha é bem grande. 

Mas como lidar com esses tipos de situações? O segredo é pensar que é apenas uma peça e que a pessoa em si não está com você 24hs, ou seja, nem sempre vocês vão usar a roupa no mesmo lugar. Ou melhor, pensa que se alguém muito próximo a você comprou é porque tem bom gosto que nem você.

Eu nunca liguei muito de me vestir igual a outra pessoa [e isso é desde que eu era criança]. Sempre procurei sair com as miga tudo meio que igual, as vezes a gente combinava roupa e tudo. Por um lado poderia ser falta de personalidade, mas por outro é porque eu gostava disso. E isso as vezes é assim até hoje. 

É claro que hoje em dia, a tendência de combinar lookito é bem mais difícil, mas acho que as miga também nem ligam mais, a gente acha bom, engraçado, mega divertido e ainda tira foto pra registrar o achado em dose dupla [nem todas são assim, hahahaha, mas a gente sempre dá um jeito].

O fato é, pensa que as peças estão nas lojas para serem vendidas e consumidas por nós e que a gente é quem faz a forma de usar ela. então joga aquele borogodó nas peças e manda ver nos looks cool que tu mais sabe.

Mas Camis, e se eu der de cara com alguém usando a mesma peça num evento, o que faço? miga, cumprimenta, elogia, manda abraço, beija, tira foto. Se tu tem bom gosto e a pessoa tá com a peça igual a sua ...

É bom gosto duplo, triplo, quadruplo na certa

12 de setembro de 2017

RENNER, A ZARA BRASILEIRA


* foto do @minadas3minas - perfil de achados *

Faz um tempo que numa conversa despretensiosa com uma amiga, ficamos comparando os preços da renner. É que aos nossos olhos, dentre as lojas de departamento mais conhecida e acessíveis no Brasil, mas especificamente no RJ, a Renner é a que mais se sobressai pelo valor.

Ok, a C&A não fica para atrás em questão de preço, mas talvez em questão de qualidade de tecido dependendo da peça que você adquirir.

E nessa conversa ficamos falando sobre o preço exorbitante que está nas lojas renner e comparamos com a zara, que também tem aqui no Brasil.

E não só na questão de preço as duas se assemelham, mas também em escândalos sobre trabalho escravo, você sabia? Pois é, mas antes disso vou citar um pouco a história de cada uma para que vocês conheçam melhor.

A RENNER foi inaugurada em 1922 em Porto Alegre (RS). E após décadas de bom desempenho, a empresa passou por uma profunda restruturação e no inicio dos anos 90 começou a operar em formato de loja de departamento especializada em moda. A marca passou a expandir-se para outros estados com mercadorias em preços competitivos com as outras lojas do mercado. Apesar de toda a estrutura da marca, a mesma só foi lançar um e-commerce em 2010. E foi também em 2011 que ela adquiriu a camicado que é do segmento de casa e decoração, e 2013 lançou a Youcom, um novo modelo de negócio para o publico jovem em um ambiente de loja especializado.

Já a rede ZARA, é uma rede de lojas espanholas (que pasmem, eu achei que era algo lá das bandas americanas) que foi fundada em 1975 e pertence ao grupo Inditex. Atualmente a marca é considerada a segunda marca de roupas mais valiosa do mundo, sendo avaliada em 25.221 milhões de dólares. A primeira loja foi aberta em 1988 no Porto de Portugal. Há 1.770 lojas em 86 países.

Olhando a história das duas a gente até pode se surpreender com elas, mas nem tudo o que parece bom, de fato é.

A zara por ser uma marca de fora, normalmente quando o valor é colocado pro Brasil, tem a tendência de se tornar mais caro do que o comum. E sinceramente, já visitei algumas das lojas e nem achei lá essas coisas.

Mas o que acontece é que as duas caíram em escândalos de trabalho escravos “recentemente” e já que vivo apertando a tecla do consumo consciente por aqui, achei válido trazer essa informação pra vocês.

Equipes de fiscalização trabalhista flagraram pela terceira vez lá em agosto de 2011, trabalhadores da ZARA em situações bem semelhantes com a da escravidão. A equipe registrou contratações ilegais, trabalho infantil, condições degradantes, jornadas até 16h diárias, cobrança e desconto irregular de dividas dos salários e proibição de deixar o local de trabalho. E os trabalhadores só poderiam ser liberados em casos urgentes.

Já a renner foi responsabilizada por autoridades trabalhistas pela exploração de 37 costureiros bolivianos em regime de escravidão.  O flagrante aconteceu em novembro de 2014 em uma oficina de costura terceirizada na periferia de São Paulo. Os trabalhadores viviam em situações degradantes em alojamentos, cumpriam jornadas exaustivas e parte deles estava submetida à servidão por divida. A fiscalização responsabilizou a renner por aliciamento e trafico de pessoas.

Esses comportamentos são mais comuns do que a gente pensa. Marisa, M. Officer, Le Lis Blanc, Bô.Bô e algumas outras empresas também já foram flagradas em questões de trabalho escravo.

Trouxe a renner porque em questões de preço, fabricação exacerbada, empresa brasileira, tamanho e estilo, é a que mais se assemelha a Zara.

Acho que isso serve pra deixar a gente mais atento quanto ao que compramos nessas lojas e principalmente a sua forma de produção. Sempre que vem alguma etiqueta de produzido na China e outros países, fico pensando em quem produziu aquela peça.

Eu sei, já falei por aqui que é difícil a gente comprar em outros locais mais independentes, mas em breve trarei opções reais e com custo x beneficio bem melhor do que as de departamento.

Não encontrei mais flagras de 2 anos pra cá das marcas e espero não encontrar, ou se encontrarem algo, que seja para desmascarar o trabalho sujo que as empresas fazem questão de encobrir, esquecendo da humanidade e dignidade dos trabalhadores ali. 😉

Gostaria de ter fotos para de fato comparar os preços das peças, mas não tenho, assim que tiver quem sabe eu não atualize o post?!


Bjks. 

27 de agosto de 2017

LOOK DE TRABALHO, COMO ESCOLHER?

Firma nova, emprego novo, pessoas novas, ambiente novo, alias, tudo é novo. Só tem uma coisa que não é nova nisso, sua dúvida do que usar no ambiente de trabalho. Como já dizia Noel Rosa, com que roupa eu vou?!


cena de O diabo veste prada - 2006

A foto diz muito sobre o que vamos abordar nesse post migs. Essa é a Andrea de O Diabo Veste Prada, quem lembra desse clássico onde Meryl Streep atua brilhantemente ao lado de Anne Hathaway?!. Andrea é aquela aspirante a jornalista, recém formada que desdenhava e muito do mundo fashion, até que começou a trabalhar na Runway, uma revista de moda super conceituada. 


Ao receber esse olhar de reprovação da querida Miranda, nossa amada Meryl Streep, Andrea contou com a ajuda de Nigel, o diretor de arte que empresta umas roupinhas mara pra ela e assim ela passa a se adaptar ao estilo da empresa e a se vestir conforme o dress deles. 

Mas o questionamento que deu luz a esse post apareceu depois que uma amiga viu uma foto do meu look de trabalho com calça jeans cor branca, blusa de manga e sapatilha e daí veio a pergunta, "Camis, Look para ambiente de trabalho, jeans pode? sapatilha pode?", a resposta é: depende. Depende dos mil fatores, como: tipo do trabalho, do seu cargo, do ambiente, de onde a empresa fica alocada, se você lidar com públicos-personas-clientes, se a empresa tem um estilo total vibes, informal, formal ou mega formal. E tudo isso precisa ser analisado e essa analise você pode fazer na hora da entrevista, por exemplo. 

  • Se analisar o ambiente da empresa ainda é difícil pra você. Vale a pena perguntar o recrutador sobre o estilo da empresa, se é obrigatório ou desejável usar salto 15 sempre ou se você pode apostar nos mais baixos. Se terninho é diário ou algo esporádico para dicas de reuniões, por exemplo. Uma boa comunicação sempre resolve.

Pra começar, tem umas diquinhas infalíveis pra te ajudar de primeira:

- nada de roupa amassada, pode parecer ultrapassado eu mesma não gosto de usar algumas roupas passadas, porque acho o amassado bem cool, mas isso conta muito na sua imagem. Passar a roupa ainda traz um quê de 'eu me importo com a imagem';

- aposte em peças com tecidos mais encorpados. blusas, calças em alfaiataria, coletes, peças com tecidos nobres e mais trabalhados, dá uma carinha mais séria pro look;

- vale apostar em blazers (independente do ambiente, ele sempre cai bem); blazer é diferente de terninho, que é o conjunto completo de blazer + calça em casos femininos e, blazer + colete + calça em casos masculinos. Ainda há empresas que optam por essa vestimenta completa.

- nada de fendas muito profundas [principalmente na parte de trás de saias, já cansei de ver mulheres que usam saias com aquelas fendas pagando bumbum no Centro do Rio];

- brilho, decote profundo, transparência, pagar barriguinha, cofrinho, costas nua, [é sempre uma boa evitar];

- tenha cuidado com o comprimento das peças. A blusa pode dá 'palinha' de barriga ao levantar os braços e a saia ou o vestido pode diminuir ao sentar 😉

Ok Camis, você me disse itens a se evitar ou a adquirir, mas eu quero ideias de looks em si, como faz? Bem, cola aqui que a gente vai te mostrar uns looks bem bacanas, que fogem um pouco do convencional sem perder a credibilidade, elegância e conforto.

Mas ó, você pode pensar em tudo o que eu disse ali em cima sobre analisar a empresa num todo, mas dependendo da área que você for atuar, seu estilo de vestimenta pode ser bem diferente da galera do marketing, rh, TI e recepção por exemplo. 


Vamos analisar o look acima: Ele tá bem cool, não?! Um look moderno, em único tom, o preto. Com blazer e calça em alfaiataria. Vale apostar em um desses? Sim, dependendo do seu ambiente de trabalho vale. Mas se ainda o local pedir um salto e uma camisa, vale substituir de boas. 

E para te inspirar ainda mais, separei uns lookitos mara da Ana Soares - HVAOFF para mostrar pra vocês looks mais versáteis para ambientes informais e formais com um quê de elegância e criatividade. 

  •  Uma peça que funciona e muito em ambiente de trabalho são os vestidos com cortes mais retos, minimalistas e com cores sóbrias. Mas os macacões fazem o maior sucesso também. É a junção perfeita da parte de cima com a parte debaixo, uma peça democrática e que na maioria das vezes combina com qualquer tipo de terceira peça. ♥

  • Você não abre mão de um bom jeans? Tudo bem, mas porque não dá uma cara mais formal a ele? Os tons mais escuros com blazer dão essa cara mais séria ao lookito de trabalho. E as flares? Elas têm um poder absurdo de transformar qualquer look. Reparem na diferença que uma terceira peça traz, independente do salto, chega a ser transformador o poder que essa peça carrega. 


  • Lembram do que eu falei ali em cima sobre os tecidos mais nobres? Para calças o tecido em linho é maravilhoso, fresco, chique e democrático. A ideia dos looks são bem parecidas, mas ficaria ótimo com sapatilha, camisa e colar.

                        



  • Ok Camis, mas e looks com sapatilha, cadê? Também temos minha gente <3


  • E se o ambiente pedir aquele terninho diário com salto e tudo, como faz Camis? Você pode trocar o clássico pretinho por um cinza chumbo, azul marinho, bege, azul claro, rosê, vinho e optar por saltos que fujam do clássico preto também. ;)






Lembre-se, o look de trabalho precisa passar a informação correta da sua imagem, que você se importa em estar ali e principalmente, que você está disposto a se adaptar as necessidades da empresa. Por isso, faça uma pesquisa sobre o local, as pessoas, a cultura dela e mantenha o conforto em primeiro lugar. 


  • Se por acaso ao final dessa analise toda, você perceber que vai precisar de um salto durante todo o horário de trabalho, carregue um sapato mais baixo até chegar ao seu destino, vai valer a pena.


Espero que tenham gostado das dicas, qualquer coisa estou aqui.

Bjks!